quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Me tornei uma mulher de fibra, dona da minha própria vida. Costuro o meu drama com as minhas próprias mãos. O amadurecimento forçado me trouxe uma forma de resistência que subsistirá pra sempre nos caminhos traçados por mim, que não tem nada a perder, mas muito a conquistar. Essas emoções impregnadas em mim não são vazias...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Uma tonelada de opinião...